DISCURSOS GASTRONÔMICOS E MACARRÔNICOS

domingo, 5 de abril de 2009

Nascidos um para o outro

Sempre o arroz com feijão. Nós não somos os únicos a unir esses dois ingredientes tão presentes na mesa do dia-a-dia.
No Nordeste, muito mais ousados que no Sudeste, comemos Baião-de-dois, com manteiga de garrafa, carne seca, coentro e queijo coalho.
Moros y Cristianos é a versão cubana, com caldo de frango, lingüiça e pimenta.
Na Venezuela, arroz, feijão preto, banana e carne desfiada é Pabellón Criollo.
Na Itália, arroz arbório com feijão chama-se Risotto al Contadino (camponês), misturados com vinho tinto, caldo de carne e lingüiça.
Se apaixonados um pelo outro, não sei. São passivos e nem disputam o sabor. Mas os unimos por conveniência, por acharmos o par perfeito, a dupla que agrada e satisfaz o gosto e o paladar. Como nos casamentos arranjados de antigamente. "Ele completa ela e vice-versa, que nem feijão com arroz", disse Renato Russo. Assim como Romeu e Julieta. A tampa e a panela. Unha e carne. Cu e calça.

2 comentários:

Rosi disse...

Sim, são perfeitos. E se tiverem fresquinhos, feitos na hora...hum!
Excelente texto.

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

pois é.
uma farofa de feijão, com arroz escorrido e leitoa a pururuca heim?

vamos