DISCURSOS GASTRONÔMICOS E MACARRÔNICOS

quinta-feira, 5 de março de 2009

O lado bom

Desde que assumi de vez a gastronomia (sim, porque antes eu a enrolava e ela me cozinhava), minha vida ficou mais divertida.
Uma aluna novinha outro dia me perguntou se no dia-a-dia eu como comida normal. Como assim? Arroz, feijão, chuchu e ovo? É. Não, não, só me alimento de caviar sevruga, foie gras e bife de kobe. Claro que como comida normal, menina! A gente ouve cada uma...
No supermercado, sou vítima de questionamentos. Às vezes, alguém olha o meu carrinho em plena fila do caixa e me pergunta, sem saber que está falando com uma cozinheira: como você limpa esse alho-poró? Ou, como você usa essa mostarda Dijon? Aí é papo pra uma hora e meia – e a vida seria perfeita se tivesse esse tempo de verdade. É sempre um prazer falar de comida.
A melhor terapia em grupo acontece nas aulas. Essa heresia vem da boca dos próprios alunos. Dividem alegrias, tristezas, um dá conselho ao outro enquanto limpam os legumes, sujam as mãos com alho amassado, choram picando cebola. E eu acho que deve ser um laboratório riquíssimo para os psicólogos. Fico imaginando um desses profissionais, sérios, num cantinho da cozinha com um bloquinho na mão, observando a todos e anotando tudo.
E não existe melhor maneira de agradar as pessoas, senão servindo um bom prato de comida da boa. Você pode ser chato, egoísta, inconveniente, malcriado ou mala sem alça, mas arranca suspiros e sorrisos depois de agradar o paladar de quem o rodeia.
Comer, comer, comer e comer. E viver de inventar comida. Assim respiro diariamente aquele ditado chinês: "faça algo que realmente lhe dá prazer e nunca mais terá que trabalhar."
Mas nem tudo são flores.

4 comentários:

Lina Gatolina disse...

Se um dia se cansar das panelas, vá para o computador escrever. Seus textos são muito apetitosos (rs)...
O ato em si de preparar comida, ou seja, ALIMENTAR pessoas é próximo do sagrado. Ninguém pensa muito na importância de quem, todos os dias, coloca o avental e prepara as "poções mágicas" que vão levar saúde e contentamento para quem as compartilhar. E só faz isso quem realmente gosta.
Denise

Anônimo disse...

Como assim?????
O que significa limpar alho poró? não basta lavar? Ai meu Deus tem um na minha geladeira que pelo visto vai pro lixo se vc não me socorrer.
Um super abraço
Ita

Regina Bui disse...

Denise,
é mais fácil cansar do computador do que das panelas. Também não sou uma rata de internet, muito pelo contrário. Vou pensar no: "alimentar pessoas é próximo do sagrado." Uau, parece até que aumenta a responsabilidade.

Regina Bui disse...

Ita,
limpar alho poró é justamente lavá-lo, porque ele vem com aquela terrinha nas entranhas...
bjs