DISCURSOS GASTRONÔMICOS E MACARRÔNICOS

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Entrevista com o chef

Assisti a entrevista de Ferran Adrià no Roda Viva de ontem. Olha, ou eu estou definitivamente por fora da linguagem do mundo da gastronomia, ou o portunhol dos tradutores e intérpretes estava desconectado. Não peguei o programa desde o comecinho, mas o que consegui compreender foi apenas 20% de perguntas e respostas de fato bastante concretas. O resto do bate-papo se resumiu em abstrato de abstrato. O que me consolou foi ver que a Lilian Wite Fibe quase surtou no final da entrevista, quando fez duas perguntinhas simples, e o espanhol insistia em florear os seus delírios gastronômicos.

3 comentários:

BETO disse...

Regina, eu não assisti ao programa mas concordo com você. Posso ser apedrejado depois do que vou escrever aqui, mas da mesma forma que existem os eno-chatos, aqueles que só falam de vinhos, que são profundos conhecedores, que parecem que vão salvar o mundo com goles de vinho, existem os GASTRO-CHATOS, e um deles é esse Ferran Adrià. Sujeitinho chato, Deus do céu. Gosta de florear tudo mesmo. Não estou aqui diminuindo esse sr, mas simplesmente não gosto da linha dele. Aquela mania de espumas não me entra... Vc já viu as espumas que ele prepara? Parece que alguém cuspiu em cima do prato de comida, que nojo... rsrsrsr. Desculpe o desabafo, mas ninguém mandou você me abrir uma porta dessas. rsrsrsrs. Bjs.

Regina Bui disse...

Beto,
Mesmo que Adrià tenha uma cozinha de vanguarda e esteja no mesmo patamar que Scoffier e Bocuse dentro da história das comilanças, espumas ou gelatinas quentes não me agradam também. Mas alta gastronomia é como alta costura, vamos concordar. As idéias bizarras são mostradas na passarela, valendo a originalidade das criações desses malucos. Uma coisa ou outra sobrevive. Vamos esperar pra ver.

Lina Gatolina disse...

Já que a panela tá aberta, vou meter a colher também...
Eu conheço pouco sobre o Adrià, mas seu trabalho me lembra mais um laboratório de química do que cozinha propriamente dita.
Não acho "aquilo" parecido com COMIDA.