DISCURSOS GASTRONÔMICOS E MACARRÔNICOS

quarta-feira, 22 de julho de 2009

A delicada e o truculento

Continuando na onda de sopas, já que o frio nem pensa em fazer as malas e nos deixar, quero compartilhar com o querido leitor mais uma idéia boa de um creme prático, um dos meus preferidos, daqueles de aquecer as canelas.
Como sabemos, existem vários tipos de abóbora, uma ideal para cada tipo de receita. Aquela imensa de pescoção, deixemos para fazer doce. Ela é aguada e por isso fica horas e horas apurando com o açúcar no tacho. Por essa mesma razão é impossível usá-la para fazer nhoque, por exemplo. Nesse caso é melhor a cabotian ou a de pescocinho - a abóbora paulista da casca esverdeada - que são mais massudas. A moranga, aquela das festas de Halloween, é própria para receber um bom creme de camarão com catupiry, o clássico. Para um quibebe, qualquer uma vai bem. Mas aqui nada é regra, apenas o bom senso indicando o que é melhor.
Gosto de fazer um creme com a paulista ou a cabotian, por serem mais adocicadas também. Fervo a abóbora em pedaços e depois retiro as sementes e a casca, bem mais fácil. Depois bato no liquidificador com um mínimo de leite ou água. Um mínimo, só para formar o creme. De volta à panela, deixo ferver e coloco uma pitada de sal, mas nada de sufocar o mel delicado e natural da abóbora. Pronto.
À parte, misturo um pedaço de gorgonzola com um pingo de creme de leite, amassados com um garfo. Sirvo o creme quente no prato e coloco uma colherada da pasta de queijo no meio. Para decorar, umas folhas frescas de salsa.
A emoção de apreciar esse prato não se limita somente ao sabor, mas ao equilíbrio que você mescla em cada colherada: um pouco do creme e um tantinho do corpulento gorgonzola para contrastar.

Foto: Regina Bui

3 comentários:

Lina Gatolina disse...

amei. vou fazer.
denise

Anônimo disse...

Babeí,,,,,hummmmmmmmmmmmm
adoreí a receita, e queijos , todos,,,,adoro uai! rs
bjsssss
mineira

Regina Bui disse...

Queridas leitoras,
contem-me também suas experiências com a nova receita, depois de prová-la.
obrigada,
beijos