DISCURSOS GASTRONÔMICOS E MACARRÔNICOS

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

C.O.M.I.D.A.

Não há quem não a deseje,
Não a cobice,
Não a pague.

Não há quem não a persiga,
E com ou sem caprichos,
A devore em segredo.

Não há quem não sacie a fome,
A gula, a ansiedade,
A carência.

Não há quem nela não sinta prazer.
E (infelizmente),
Culpa.

8 comentários:

BETO disse...

Regina, gostei do poema. É isso mesmo, quem nunca sentiu culpa por comer? Acho que comer bem não significa necessariamente comer muito. Abraços e bom final de semana.

Regina Bui disse...

Gostou do poema? Olha, mas comer bem, para muitos, pode combinar sim com comer muito... Aguarde o próximo texto e vc verá onde vamos chegar.
bjs

Ita Andrade disse...

Ah! Regina
voce tocou num ponto de conflito...comer geralmente traz muita culpa e mesmo quando é algo muito simples penso que muita gente nem isso tem. Comer é um problema...
Deixo um abraço,
Abraçar não é problema!

Regina Bui disse...

abraçar sem culpa é ótimo, pelo menos isso nós conquistamos ao longo da história!..rs...

Carol Tafuri disse...

muito bom!

Ita Andrade disse...

Oi Regina,
Seu blog meu café da manhã...com muito carinho, indiquei Um Divã na Cozinha, para o Prêmio Dardo, vem ver...
Um abraço forte

Regina Bui disse...

Obrigada pela força e pelo carinho! Sucesso pra nós!
bjs

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Muito bom!